terça-feira, 20 de agosto de 2013

CULTURA


Morre escritor de livros policiais Elmore Leonard

Autor sofreu um acidente vascular cerebral no mês passado

Morreo escritor de livros policiais Elmore Leonard<br /><b>Crédito: </b> AFP / CP
Morreo escritor de livros policiais Elmore Leonard
Crédito: AFP / CP

O escritor de livros policiais e roteirista norte-americano Elmore Leonard, autor de 45 livros, muitos deles transformados em filmes por Hollywood, morreu nesta terça-feira, aos 87 anos, anunciou o site do próprio autor. Ele sofreu um acidente vascular cerebral no mês passado. Leonard morreu às 7h15min (10h15min de Brasília) em sua residência de Detroit, ao lado da família.

Os livros policiais do escritor atraíram uma ampla audiência por mais de cinco décadas e foram transformados em vários filmes. Entre eles estão o western "Hombre" (1967) com Paul Newman, a comédia "O Nome do Jogo" (1995) com John Travolta, "Irresistível Paixão" (1998), do diretor Steven Soderbergh, e "Jackie Brown" (1997), do cineasta Quentin Tarantino, inspirado no livro "Rum Punch."

Nascido em 11 de outubro de 1925 em Nova Orleans (Louisiana), filho de um funcionário da General Motors, Leonard viveu com a família no sul do país, antes de se mudar para Detroit em 1934. Considerado pelo New York Times o "maior escritor de mistério vivo", ele serviu na Marinha de Guerra antes de se formar em Inglês e Filosofia. Casou em 1949 e teve cinco filhos.

A "National Book Foundation" premiou Leonard em novembro de 2012 com a Contribuição Distinta às Letras Americanas. "Por meio século, Elmore Leonard produziu um trabalho literário vibrante, com um estilo de escrita inimitável", afirmou na ocasião o diretor executivo da fundação, Harold Augenbraum. Na entrega do prêmio, o escritor britânico Martin Amis descreveu Leonard como "um gênio literário que escreve thrillers para reler".

Romances sobre o submundo

As obras mais famosas de Leonard estão ambientadas no submundo de cidades como Detroit e Miami, protagonizadas por policiais, criminosos e assassinos. O escritor admitiu uma que ve z seus livros "não são exatamente cinematográficos". "Têm a ver com pessoas com armas de fogo em situações extremas", disse.

Em sua literatura, Leonard privilegiava o diálogo e evitava os parágrafos longos, com descrições extensas de paisagens ou monólogos. Ele explicou sua prosa em um guia de 10 pontos publicada pelo New York Times em 2001, citado por muitos fãs no Twitter quando a notícia de sua morte foi divulgada.

Entre os conselhos, Leonard destacava: "Evite as descrições detalhadas dos personagens"; "Não entre em detalhes descrevendo lugares e coisas"; "Tente deixar de lado a parte que os leitores tendem a pular". "Pense no que alguém pula ao ler um romance: parágrafos grossos de prosa com muitas palavras. Aposto que você não pula o diálogo", escreveu.

Sua regra mais importante, que resume as 10: "Se soa como algo escrito, eu reescrevo". Ao morrer, Leonard, que no início da carreira trabalhou na agência de publi cidade Campbell Ewald, enquanto escrevia histórias de caubóis que vendia a várias revistas, estava escrevendo seu 46º romance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário